Tags: Obrigações | Ações |

Descida significativa nas taxas com o leilão da dívida pública


O Estado português voltou hoje ao mercado da dívida. Com o leilão da dívida realizado hoje o Estado amealhou 1.250 milhões de euros em bilhetes do tesouro. Os Bilhetes do Tesouro a 3 meses foram emitidos a 0,495% num total de  240 milhões de euros. A queda da taxa foi substancial já que no último leilão realizado a 3 meses, em novembro do ano passado, a taxa implicita situou-se em 1,07%.

Já a 12 meses, o IGCP colocou 1010 milhões de euros a uma taxa de 0,869%. Em relação ao último leilão da dívida realizado com este prazo de maturidade, a taxa desceu dos 1,49%.

Para Filipe Silva, diretor da gestão de Ativos do Banco Carregosa, "tivemos uma descida muito significativa nas taxas, tanto nos 3 meses, como nos 12 meses. Sinceramente, nem eu esperava taxas tão baixas, mas a verdade é que a perceção de risco que os investidores têm sobre a dívida portuguesa está a descer bastante… Em prazos curtos uma descida tão acentuada faz uma grande diferença. Parece-me que Portugal só teve taxas semelhantes a estas em Dezembro de 2009, ou seja, há mais de 4 anos. Os leilões correram bem e era difícil esperar melhor.
A procura foi também muito forte
.”

Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos