Tags: Obrigações | Ações |

Demissões de ministros arrastam bolsa portuguesa para terreno negativo


"Apesar da surpreendente notícia da demissão do ministro das Finanças Vitor Gaspar, ao longo da sessão o índice PSI 20 acompanhou a performance dos pares europeus. No entanto, com a notícia de última hora da demissão de Paulo Portas, avançada pelas 16:30, o PSI 20 fechou em queda de 1,5%" para os 5.530,42 pontos, referiu Francisco Almeida da Orey Financial.

Além da bolsa portuguesa, para as congéneres europeias o dia foi igualmente negativo. O Ibex-35 fechou a cair 0,26% para os 7.886,6 pontos, o CAC 40 recuou 0,665 para os 3.742,57 pontos e o DAX 30 perdeu 0,92% para os 7.910,77 pontos. O índice STOXX 600, referência para a Europa, também fechou no vermelho, desvalorizando 0,52% para 286,79 pontos.

No PSI-20, seis títulos fecharam em alta, destacando-se a Cofina que valorizou 1,68% para os 0,423 euros. A construtora Mota Engil também encerrou em terreno positivo, avançando 0,86% para os 2,349 euros. Pelo contrário, banca e Jerónimo Martins (desceu 1,05% para os 16,085 euros) foram as cotadas que mais pressionaram a praça nacional.

Francisco Almeida deu, precisamente, destaque negativo para o sector financeiro, ao contribuir para a 'performance' negativa acentuada no leilão de fecho. O BCP por exemplo, já com a notícia da saída do Ministros dos Negócios Estrangeiros - Paulo Portas, caiu mais de 3% no período de leilão face ao preço das 16:30, acabando o dia a cair 5,10% para os 0,093 euros".

Entre os restantes títulos do sector financeiro, o BES baixou 4,22% para os 0,612 euros, o BPI recuou 3,12% para os 0,901 euros e o Banif que não foi excepção, embora tenha sido o menos penalizado, perdeu 1,08% para os 0,092 euros.

Nas energéticas, a EDP Renováveis recuou 1,75% para os 3,930 euros, a Galp Energia perdeu 0,99% para os 11,50 euros enquanto a REN e a EDP fecharam em sentido contrário, a valorizarem 0,05% e 0,24%, respectivamente, para os 2,240 euros e 2,465 euros,

Na área de telecomunicações, a Zon Multimédia encerrou em alta de 0,26% para 3,87 euros, tendo Sonaecom fechado em queda de 0,69% para 1,590 euros e a Portugal Telecom a perder 1,02% para os 2,920 euros.

Neste cenário de crise política em Portugal e colocando-se o cenário de queda do governo como provável, do lado das obrigações, a “yield” da dívida pública a 10 anos sobe 20 pontos base para 6,59% e na maturidade a 5 anos o agravamento é de 22 pontos base para 5,43%.

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos