Tags: Negócio | Europa |

De Lisboa a Madrid: consequências do efeito Espírito Santo continuam no país vizinho


A Funds People Espanha continua a  analisar os efeitos da crise no Grupo Espírito Santo na indústria espanhola. Contas feitas, das 96 gestoras registadas em Espanha, contabilizam-se 16 afetadas pelos últimos acontecimentos.

As últimas entidades que se juntaram à “lista negra” são o Santander Private Banking Gestión, Sabadell Urquijo Gestión, Barclays Wealth Managers España, Gescooperativo e Gesinter. Para além disso, a própria gestora espanhola do Banco Espírito Santo (BES), Espírito Santo Gestión, UBS Gestión e Renta 4 Gestora, que já reconheceram há alguns dias perdas em alguns dos seus veículos, veem agora aumentar o número de produtos contagiados pela sua exposição a obrigações e ações da holding da família Espírito Santo.

Esta terceira “onda” de factos relevantes na Comissão Nacional de Mercados de Valores (CNMV), aparece desencadeada pela posse de ações, obrigações, obrigações subordinadas do BES, assim como obrigações do Espírito Santo Financial Group e ainda obrigações subordinadas do Espírito Santo Investment.

Mais concretamente, os últimos veículos que saíram afetados pela crise da família portuguesa são as Sicav Galiruben Inversiones e Inversiones Midmar (Santander); Fasanga Inversiones, Baninver Patrimonio, Bono Alagon e Deltahorro (Espírito Santo); Inversió Activa Penedés 3, Funrent Milenio e Rostand Finance (Sabadell Urquijo); Hispafinance Caji Inversiones, Norcafix e La Abadía Inversiones (Barclays); Alpha Protección, Salamina Investment, Arpoador Océano de Inversiones e Genil de Inversiones (UBS), e Foxfy Inversiones (Gescooperativo). Acrescentam-se ainda os fundos Renta 4 Total Opportunity (Renta 4) e Laguna Negra (Gesinter-Neila Capital Partners).

Anteriormente, UBS Gestión, Credit Suisse Gestión, DWS Investments, Alpha Plus Gestora, Renta 4 Gestora, Banco Madrid Gestión de Activos, Popular Gestión Privada, Inversis Gestión, Bankinter Gestión de Activos, March Gestión de Fondos e a própria Espírito Santo Gestión já tinham sido afetadas.

Desta forma, a última contagem dos danos eleva para 16 as gestoras espanholas afetadas, enquanto 36 sicav e 14 fundos ressentem-se pelo investimento feito em ativos do Grupo Espírito Santo. 

Gestoras espanholas

N.º sicav afectadas

N.º fundos afectados

Total de Instituições de Investimento Colectivo

Espírito Santo Gestión

6

4

10

UBS Gestión

9

0

9

Banco Madrid Gestión de Activos (marca Liberbank)

 

0

6

6

Credit Suisse Gestión

 

4

0

4

Sabadell Urquijo Gestión

 

3

0

3

Barclays Wealth Managers España

 

3

0

3

Santander Private Banking Gestión

 

2

0

2

Bankinter Gestión de Activos

 

2

0

2

DWS Investments

 

2

0

2

Alpha Plus Gestora

 

0

2

2

Renta 4 Gestora

 

1

1

2

Gesinter-Neila Capital Partners

 

0

1

1

Gescooperativo

 

1

0

1

Popular Gestión Privada

 

1

0

1

Inversis Gestión

 

1

0

1

March Gestión de Fondos

 

1

0

1

Fonte: elaboração da Funds People Espanha com dados da CNMV

 

Situação do Espírito Santo Gestión

Ainda que os resultados do Espírito Santo Gestión continuem positivos, a verdade é que o último mês foi complicado para a instituição, que acabou por sofrer resgates consideráveis. Esta situação fez com que as captações acumuladas da gestora em 2014 retrocedessem para quase metade. Atualmente, a gestora espanhola inicia agosto com 70 milhões de fluxos líquidos positivos.

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos