Da flexibilidade aos emergentes: os fundos de obrigações que deram nas vistas em novembro


No mês de novembro os fundos de obrigações com presença na lista de mais subscritos reduziu-se, tal como aconteceu com os fundos mistos. Preocupados em reposicionar as carteiras para o início de 2016, a aposta forte dos investidores do Best, BiG e ActivoBank, e da plataforma de fundos do Banco Invest, apostaram fortemente nos fundos de ações.

Desta forma, os fundos de obrigações reduziram-se na lista, mas ainda assim há seis fundos de obrigações a apontar. Um dos produtos com presença no mês de novembro é uma novidade “por estas bandas”, pois investe em obrigações emergentes globais. Falamos do Pioneer Funds – Emerging Markets Bonds, da Pioneer Investments. O produto apresenta, segundo a página da Morningstar, uma maturidade efetiva de 5,89 anos e nas cinco maiores posições da carteira estão um fundo da casa – no caso o Pioneer Fds EM Bond Short-Term I ND – dívida da Argentina, da Ucrânia ou um ETF da iShares.

A Invesco, por seu turno, aparece em destaque com dois produtos: um fundo de obrigações corporativas e outro de obrigações globais. O Invesco Funds - Euro Corporate Bond Fund, que investe naturalmente em obrigações corporativas, apresenta nas suas maiores posições dívida de empresas como a Coca Cola, o Crédit Suisse ou a Novartis, ou seja, nomes de empresas com algum “peso” no mercado. Segundo as informações da Morningstar o fundo olha para títulos com uma qualidade de crédito média.  O companheiro de casa Invesco Global Bond Fund E, opta também por empresas com qualidade creditícia semelhante. Este fundo de obrigações globais, no seu top 5 reflete os investimentos em dívida de países como o Reino Unido, Espanha, Itália e EUA.

Também já habituados a estas andanças estão dois fundos de obrigações flexíveis. Falamos do The Jupiter Global Fund - Jupiter Dynamic Bond Class L EUR Q Inc, a cargo da Jupiter, e do PIMCO Global Investors Income Fund, gerido pela PIMCO.  

No caso do fundo da Jupiter, uma das grandes apostas refletidas em carteira continua a ser o investimento em dívida australiana – tal como explicava já em março à Funds People Katharine Dryer, Product Specialist Director. No estilo de obrigações consideradas pelo produto é considerada dívida de baixa qualidade creditícia, segundo a Morningstar, estando quase 31% dos ativos em carteira alocados a dívida com o rating AAA, e 18,8% a dívida com o rating BB. Apesar de classificados da mesma forma, o produto PIMCO Global Investors Income Fund, por seu lado, apenas apresenta em carteira uma posição em semelhante à do antecessor: o investimento em treasuries.

Fundos de obrigações nas plataformas em novembro 

Fundos GestoraCategoria
PIMCO Global Investors Income FundPIMCOObrigações flexíveis globais 
Invesco Funds - Euro Corporate Bond FundInvesco AM Obrigações corporativas
Parvest Bond Euro Government NBNP Pariba IPObrigações governamentais 
Invesco Global Bond Fund EInvesco AM Obrigações Globais
The Jupiter Global Fund - Jupiter Dynamic Bond Class L EUR Q IncJupiter AM Obrigações flexíveis globais 
Pioneer Funds - Emerging Markets Bond C EUR NDPioneer InvestmentsObrigações emergentes globais 
Fonte: informação cedida pelas entidades
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos