Tags: Alternativos |

Continuam a ser dois os fundos imobiliários abertos de acumulação a “vingar” a um ano


Os últimos tempos não têm sido de grande euforia para os fundos de investimento imobiliário. Os ativos sob gestão têm caído em praticamente todos os meses de 2015, e as rendibilidades também não são as mais favoráveis. Contudo, tal como alguns profissionais relatavam à Funds People recentemente, o futuro pode reservar tempos mais positivos. Por essa altura enumeravam oportunidades como o “um significativo número de imóveis devolutos”, que “terão que integrar o mercado de arrendamento, havendo aqui oportunidades para investimento em fundos imobiliários”.

No que toca aos fundos imobiliários abertos de acumulação, ou seja, os produtos que segundo a APFIPP “não distribuem qualquer tipo de rendimento, reinvestindo automaticamente os rendimentos gerados pelas respectivas carteiras”, há dois nomes que a um ano continuam a dar nas vistas. Os dados da APFIPP de 30 de setembro mostram que dos sete fundos que constituem esta categoria o CA Património Crescente e o Novimovest são os dois produtos resistentes.

CA Património Crescente – Quase 3% de retorno anualizado

O fundo gerido pela Square Asset Management mantém-se firme no que toca aos resultados. A um ano o fundo apresenta um retorno de 2,88%, segundo os dados da Associação, e conta com cerca de 298,1 milhões de euros de ativos sob gestão. O fundo com uma lógica de relógio suíço, como apelidava à Funds People Pedro Coelho, administrador da entidade, chegou mesmo a ser premiado com a menção de melhor portfólio imobiliário nos IPD European Property Investment Awards.

Em carteira, o fundo, no final do nono mês do ano apresentava 18,86% de ativos alocados a instrumentos de liquidez, sendo o produto da sua categoria com maior percentagem nesta rubrica. Saliente-se ainda que este é o sexto maior fundo de investimento imobiliário do mercado nacional.

NovImovest – 0,52% de retorno a um ano

O produto gerido pela Santander Asset Management, segundo a APFIPP, conseguia, no final de setembro, um retorno de 0,52% a um ano. Neste caso, os seus 326,2 milhões de euros de património sob gestão, colocam-no no posto de segundo maior fundo imobiliário do mercado nacional.

Segundo o relatório mensal da APFIPP referente a este segmento de negócio, em setembro, a carteira deste fundo tinha crescido 0,05%, e no portfólio tinha alocada uma percentagem de 0,69% a outros fundos de investimento imobiliário. 

Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos