Conheça as equipas de gestão e os fundos estrela da Santander AM


Muito embora a maior parte dos ativos da Santander AM estar alocado à classe de obrigações, cerca de 53% dos 160.000 milhões de euros que acumula a gestora a nível global, segundo uma apresentação da entidade em junho em 2014, o reconhecimento por parte das empresas de análise advém principalmente da gestão de ações.

A gestora do Banco Santander está especializada em ações europeias e Latam, concentrando 8.200 milhões de euros nos produtos que investem na primeira geografia e 1.600 milhões nos veículos emergentes, segundo dados da entidade relativos a junho do ano passado. Entre as duas áreas de investimento, a equipa está formada por cerca de 25 gestores e, aproximadamente, o mesmo número de analistas.

Ações

Dentro da equipa de ações europeias, posicionam-se especialmente bem os produtos enfocados em Espanha. Após a saída de Iván Martín, que teve sob sua responsabilidade o fundo Santander Acciones Españolas, esta equipa passou a ser liderada por José Antonio Montero de Espinosa, nomeado diretor de ações Espanha e Europa da gestora em outubro de 2014. A seu cargo estão fundos como o anterior e o Santander Ações Europa. Desta equipo fazem ainda parte Lola Solana, responsável pela gestão do Santander Small Caps España, produto que conta atualmente com quatro estrelas por parte da Morningstar. Solana gere ainda o Santander Small Caps Europa e o Santander AM European Equity Opportunities. Completam esta equipa Diogo Pimentel, responsável pelos fundos Santander Ações Portugal, Santander PPA e Santander Ações América e José Ramón Contreras que centra a sua gestão em empresas com um foco para a distribuição de dividendos.

Em emergentes, a Santander AM destaca-se pela sua especialização em América Latina. José Cuervo, rating + da Citywire, é o responsável dos veículos que centram o seu investimento nesta região do globo, como por exemplo o Santander AM Latin America Equity Opportunities (quatro estrelas Morningstar), o Santander AM Latin American Equity. Além disso, a entidade conta com produtos país como o Santander AM Brazilian Equity, gerido por Robert Reis.

Obrigações

No que diz respeito às obrigações, a equipa está composta por 35 gestores e 12 analistas, que se dividem por categorias de ativos e regiões. Na Europa está coberto o universo de ativos completo (monetários, soberanos, crédito e híbridos) e na América Latina é gerida a dívida local, corporativa e também híbridos.

Precisamente nesta classe de ativos é onde a entidade tem estado a reforçar a sua equipa nos últimos anos, desde que contratou Adam Cordery como responsável global de obrigações europeias da Santander AM. Vindo da Schroders, este último recrutou David Scammell e Divya Manek, também antigos gestores de obrigações da empresa inglesa. Esta equipa centra os seus esforços principalmente nos fundos de crédito da empresa: o Santander AM Euro Corporate Short Term, o Santander AM Euro Corporate Short Term, o Santander AM Euro Corporate Bond e o Santander Renta Fija Privada.

Alfredo Mordezki é, ao nível das obrigações latino-americanas, o gestor mais distinguido da casa, com um rating + da Citywire por causa do fundo Santander Latin American Corporate. Para a estratégia de obrigações latino-americanas, a gestora conta ainda com Tiago Rocheta, gestor do Santander Latin American Fixed Income.

 

Mistos e perfilados

Finalmente, um dos pilares da gestora - pelo seu crescimento no último ano - é a equipa responsável pelos fundos mistos, perfilados, retorno absoluto, fundos de fundos e planos de pensões colectivos, com 21.600 milhões sob gestão. Esta equipa faz parte do departamento de Global Multi Asset Solutions, liderado por Tom Caddick que se divide en três áreas cujos responsáveis são Toby Vaughan, José María Martínez-Sanjuán e Cristina Rodríguez Iza.

Vaughan é responsável pela área de Fund Management com uma equipa de oito pessoas. A nível mundial, os produtos mais conhecidos desta categoria são os Select, uma gama que totaliza 12.388 milhões de euros sob gestão e que registaram um crescimento interanual de 99,2%. Em Portugal, conforme a Funds People lhe deu conta, os fundos Select acumulam um património de 537 milhões de euros. Marta Bretones é a gestora desta gama de produtos que se distribuem em seis país (Espanha, Portugal, Reino Unido, México, Alemanha, Chile e Brasil).

José María Martínez-Sanjuán é o responsável da seleção de fundos de terceiros do grupo, uma equipa de nove profissionais e Rodríguez Iza de Investment Solutions.

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos