Cinco meses sem novos fundos, e onze produtos liquidados


Compilando as várias informações mensais da APFIPP, é fácil concluir que os primeiros meses de 2015 não foram propriamente dinâmicos no que diz respeito a novos fundos de investimento mobiliário. De janeiro a maio a indústria financeira não assistiu ao lançamento de nenhum novo fundo, sendo que, em sentido contrário – ou seja em termos de liquidações – a tendência foi inversa.

O ano iniciou-se sem qualquer lançamento de fundos ou liquidações. Esse era o saldo reportado pela APFIIP em janeiro, que nas suas contagens considerava 204 fundos mobiliários, ou seja, a mesma soma de dezembro de 2014.

Seguiram-se quatro meses mais “atribulados”, em que, contas feitas, desapareceram do mercado 11 fundos que a APFIPP reúne dentro da grupo dos fundos mobiliários. Em fevereiro foi apenas um o fundo a desaparecer do mercado, no caso o NB Rendimento Fixo VII – FIA, a cargo da GNB Gestão de Ativos, por ter chegado ao fim do seu período de atividade.

Do período em análise, março foi o mês mais com mais “baixas”. A Associação relata a liquidação de 5 fundos, três deles de uma só entidade. O Barclays Wealth Managers Portugal procedeu à liquidação de três produtos: o Barclays Obrigações Euro 2015, I, o Barclays Obrigações Euro 2015, II e o Barclays Obrigações Euro 2015, III, porque, tal como o nome dos fundos indica, o termo dos produtos chegava ao fim. A juntar ao leque de fundos com termo em março, estiveram mais dois produtos de investimento alternativo. O Caixagest Valor Bric 2015, da Caixagest, que tinha como objetivo “proporcionar aos seus participantes no final de quatro anos (2 de Março de 2015), o reembolso do capital investido, acrescido de um rendimento, associado à variação do índice S&P BRIC 40 Daily Risk Control 10% Excess Return (EUR)”, e o NB Rendimento Fixo IX – FIA, da GNB Gestão de Activos.

Um mês volvido e mais  três fundos liquidados, todos eles de investimento alternativo. Pelas razões óbvias, o Caixa Rendimento Fixo 2015 – FIA foi liquidado em abril, ao passo que do mercado deixou também de fazer parte o Popular Obrigações Indexadas ao Ouro (Londres), que tentava tirar partido “da possível valorização do índice GOLDLNPM”, podia ler-se no seu regulamento de gestão. Também da Popular Gestão de Activos, chegou ao igualmente ao fim o prazo para o qual tinha sido constituído o fundo de investimento alternativo Popular Private Multiactivos.

Desta forma, o quinto mês do ano fechou com 199 fundos mobiliários, segundo a APFIPP, pois às contas das liquidações somaram-se mais dois produtos também eles alternativos. Extinto foi o Multi Gestão Imobiliário Fundos de Fundos, gerido pela Montepio Gestão de Activos, e ainda o Sporting Portugal Fund – FIA, da GNB Gestão de Ativos.

Recorde-se que em 2014 foram lançados 11 fundos de investimento mobiliário: oito fundos abertos, um alternativo de obrigações, um alternativo flexível e, por fim, um aberto flexível.

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos