Captações líquidas em 2015: os fundos de obrigações


Depois de dois anos em que as captações líquidas tiveram balanço negativo, 2015 marcou a viragem para terreno positivo. Os dados da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP – mostram que as entradas líquidas de dinheiro nos fundos de investimento nacionais ascenderam a mais de 328 milhões de euros em 2015.

A Associação divide o mercado em diversas categorias, sendo que apenas três englobam os fundos de obrigações: fundos de obrigações de taxa indexada euro, fundos de obrigações euro e ainda fundos de obrigações internacionais. Esse trio de categorias registou, em 2015, mais resgates do que subscrições, num total de cerca de 650 milhões de euros. Apesar da quebra das subscrições líquidas nesses fundos, alguns produtos conseguiram destacar-se pela positiva no decorrer do ano passado.

Dos cerca de trinta produtos que são contabilizados pela Associação, apenas oito conseguiram ter mais subscrições do que resgates. A liderar surge o Caixagest Obrigações que é da responsabilidade da Caixagest. Nos dozes meses do ano passado o produto registou captações líquidas superiores a 35 milhões de euros. O ano neste produto e nesta temática pode ser dividido em dois, já que durante os primeiros dois terços do ano o produto registou sempre captações líquidas positivas enquanto que no final de 2015 os resgates se sobrepuseram às subscrições.

Com um acumulado anual de 27,8 milhões de euros surge, logo depois, o BPI Euro Taxa Fixa. Sob gestão da BPI Gestão de Activos, o fundo liderou o segmento nos último trimestre do ano, sendo o produto de obrigações com mais captações líquidas em outubro, novembro e dezembro. Também da BPI Gestão de Activos figura o outro produto que regista captações líquidas superiores a 10 milhões de euros. Trata-se do BPI Obrigações Mundiais que registou entradas líquidas de dinheiro no valor de 17,3 milhões de euros.

Com valores perto dos 10 milhões de euros ainda surge mais um produto: o Santander Multi Taxa Fixa da Santander Asset Management que atingiu um montante de 9 milhões de euros.

Acima da linha de água

Os restantes produtos com captações líquidas positivas registaram valores inferiores a três milhões de euros. No patamar dos dois milhões de euros encontramos dois produtos: o IMGA Rendimento Mensal da IM Gestão de Ativos e ainda o Caixagest Obrigações Longo Prazo da Caixagest. Com valores mais baixos encontramos o Optimize Europa Obrigações da Optimize Investment Partners e ainda o Postal Capitalização da Caixagest.

Os fundos de obrigações com captações positivas em 2015

FundoGestoraCategoria APFIPPCaptações Líquidas 2015
Caixagest ObrigaçõesCaixagestObrigações Taxa Indexada35 804 100 €
BPI Euro Taxa FixaBPI Gestão de ActivosObrigações Euro27 866 900 €
BPI Obrigações MundiaisBPI Gestão de ActivosObrigações Internacional17 367 500 €
Santander Multi Taxa FixaSantander Asset ManagementObrigações Euro9 078 100 €
IMGA Rendimento MensalIM Gestão de AtivosObrigações Euro2 708 300 €
Caixagest Obrigações Longo PrazoCaixagestObrigações Euro2 218 600 €
Optimize Europa ObrigaçõesOptimize Investment PartnersObrigações Internacional1 323 300 €
Postal CapitalizaçãoCaixagestObrigações Taxa Indexada139 100 €
Fonte: APFIPP no final de 2015
Upload
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos