Caixa líder no ranking dos melhores fundos no Brasil


Pela primeira vez a gestora de ativos da Caixa conquistou o 1.º lugar do ranking “melhores fundos para institucionais”, obtendo a posição cimeira nos fundos considerados de excelência. No ranking de há um ano atrás, em junho de 2012, a gestora de ativos apenas tinha obtido 3 fundos com classificação de excelente. Esta foi uma classificação que se começou a inverter a partir de dezembro de 2012, quando a Caixa conseguiu obter 9 fundos com classificação de excelente, passando assim para a 4ª posição do ranking. A evolução da Caixa neste ramo confirma-se, já que o número de fundos “reconhecidos” passou a ser de18, dos quais 12 são de renda fixa e 6 de multimercados.

Flávio Eduardo Arakaki, Diretor da Caixa Asset, acredita que este resultado “não aconteceu por acaso” e “resulta de um planeamento iniciado em 2008, que traçou o objetivo de atender ao público de investidores institucionais de forma completa e competitiva”.

Aposta em estratégias de crédito privado

Precisamente no ano de 2008, a Caixa começou a estruturar-se para oferecer produtos diversificados para os regimes próprios de previdência, tanto em fundos de investimento do tipo CVM 409, como nos fundos estruturados. Mas foi em 2011 que a Caixa decidiu apostar numa família de fundos com DPGEs (Depósitos a Prazo com Garantia especial). De forma a fazer face à forte procura entre os regimes próprios de estados e municípios, a Caixa foi aumentando o tamanho da “família” desses fundos ao longo daquele ano. “Apostámos em estratégias de crédito privado com ativos de baixo risco, que víamos como sendo bastante adequadas para os investidores institucionais, sobretudo para os regimes próprios”, diz Marcelo de Jesus Perossi, director de gestão da Caixa, que acrescenta que estavam a prever que “as estratégias baseadas puramente em títulos públicos já não seriam apazes de garantir a superação das metas atuariais dos regimes próprios”, refere.

no que diz respeito aos fundos multimercados com nota máxima, a estratégia também passou por uma aposta em ativos de crédito privado. “A estratégia foi semelhante à dos nossos fundos de obrigações de crédito privado. No caso dos multimercados, não víamos a bolsa com boas perspectivas”, diz Perossi.

Santander e Bradesco também subiram ao pódio

Apesar de nos fundos de ações a Caixa não ter alcançando nenhum fundo com classificação máxima, a instituição acredita que no futuro a procura por estes produtos aumente, e que nos próximos rankings a gestora de ativos da Caixa já tenha alguns destes fundos a figurar no ranking dos melhores do mercado. “Ampliámos o leque de opções dos produtos de renda variável para os institucionais. Acreditamos que há espaço para crescer com fundos diferenciados”, diz Perossi.  

Neste ranking dos “melhores fundos para institucionais” o primeiro lugar pertence, como já foi referido, à Gestora de Ativos da Caixa. O segundo lugar foi atribuído ao Santander Asset Management, que arrecadou a menção de 14 fundos classificados como “excelentes”, enquanto a terceira posição foi para a Bradesco Asset Management que conseguiu seis fundos de ações com a classificação de “excelente”. 

Outras notícias relacionadas


Anterior 1 3
Anterior 1 3

O Mais Lido

Próximos eventos