Tags: Obrigações | Ações |

Bolsas europeias no verde


O índice português fechou hoje a sessão a crescer 0,49% para os 5.982,850 pontos. O mesmo cenário de crescimento foi também o das restantes congéneres europeias. Madrid valorizou 1,69%, Paris 1,28% e Frankfurt 1,1%.

Na NYSE Euronext Lisboa foram 14 as empresas cotadas a subirem, 4 a desvalorizarem, e o BCP e o Banif a manterem os resultados inalterados.

Marisa Cabrita, da Orey Financial, refere que  "o mercado português acompanhou a tendência verificada nas restantes praças europeias que ignoraram por completo a ausência de um acordo nos EUA sobre o Orçamento de Estado. A banca beneficiou da queda das yields, as yields portuguesas a 10 anos recuaram para os 6.502, valores apenas verificados em Agosto". 

A banca redimiu-se do dia de ontem e conseguiu crescer. O BES valorizou 2,67% para os 0,808 euros . O BPI conseguiu valorizar 3,23% para os 0,958 euros.

Na energia apenas a EDP encerrou no vermelho a desvalorizar 0,11% para os 2,697 euros. A EDP renováveis cresceu 0,89% para os 3,875 euros, enquanto a REN valorizou 0,23%.

Nas telecomunicações todas as empresas fecharam a valorizar. A Zon Optimus cresceu 2,96% para os 4,530 euros, enquanto a concorrente Sonaecom fechou a valorizar 1,27% para os 2,080 euros. Também em alta a PT valorizou 2,07% para os 3,400 euros.

A Jerónimo Martins foi uma das empresas que impediu o maior crescimento do PSI 20. A retalhista desvalorizou 3,95% para os 14,580 euros. A concorrente Sonae SGPS por outro lado conseguiu crescer 2,39% para os 0,944 euros. 

Marisa cabrita destaca pela negativa exatamente o comportamento da Jerónimo Martins. " A J.P. Morgan reviu em baixa price target da Jerónimo Martins para 2013, sustentada pela possível deterioração do EBITDA na Pólonia. Adicionalmente, reduziu as estimativas de EPS para 2013 em 3%", explica. 

Profissionais
Empresas

O Mais Lido

Próximos eventos