Tags: Obrigações | Ações |

Bolsa portuguesa encerra a crescer 0,31%


Num cenário de quedas nas principais congéneres europeias, o PSI 20 consegiu “segurar-se”, valorizando 0,31% para os 7.076,920 pontos.  Madrid desvalorizou 0,19%, Paris 0,84% e Frankfurt 0,8%.

Na NYSE Euronext Lisboa foram 12 as empresas cotadas a subirem, enquanto 7 desvalorizaram. O BCP manteve os resultados inalterados.

Na banca, a única empresa a cair foi o BES, que recuou 0,50% para os 1,201 euros. O BPI encerrou a valorizar 1,76% para os 1,443 euros, e o Banif valorizou 4,80% para os 0,013 euros.

Na energia o final de sessão foi positivo, com todas as empresas, à exceção da Galp energia, a crescerem. EDP valorizou quase 1% para os 4,200 euros, a EDP renováveis cresceu 1,97% para os 4,200 euros, a REN cresceu 1,49% para os 2,385 euros, enquanto a Galp recuou 0,87%.

Nas telecomunicações, também a Zon encerrou a recuar 0,81% para os 5,536 euros, enquanto a Sonaecom avançou 0,19% para os 2,651 euros e a PT cresceu 1,41% para os 3,600 euros.

As retalhistas, por outro lado, tiveram destinos opostos. A Jerónimo Martins recuou 0,39% para os 14,150 euros, enquanto a Sonae SGPS conseguiu crescer 3,28% para os 1,198 euros. 

Em resumo, Rui Bárbara do Banco Carregosa refere que "os mercados acionistas europeus desvalorizaram-se cerca de 0.5%. A continuação da série de dados menos animadores referentes à economia Chinesa, em conjunto com um discurso cauteloso por parte do presidente do BCE em relação ao crescimento económico na zona euro, levaram os principais índices europeus revertessem os ganhos do início da manhã".

 

Profissionais

O Mais Lido

Próximos eventos