Tags: Obrigações | Ações |

Bolsa portuguesa cai mais de 1%


A praça lisboeta fechou esta terça-feira no vermelho, a cair 1,08% para os 5696,64 pontos, com 18 empresas no vermelho e duas inalteradas (BANIF e BCP). Na Europa o sentimento bolsista é semelhante, com apenas a bolsa suíça a valorizar 0,22%.  O índice alemão foi o que mais caiu, resvalando 1,17%. Paris, Madrid e Amesterdão tiveram as suas perdas situadas entre 0,31% e 0,43%.

O destaque em Portugal vai para a queda em 3,7% da Portugal Telecom, fechando a sessão a valer 2,812 euros por ação. Francisco Almeida da Orey Financial afirma que a queda da Portugal Telecom pode ser justificada pelo facto de “alguns analistas duvidarem da capacidade da operadora em manter o nível de distribuição de dividendos”.

Também os “pesos-pesados” EDP, Jerónimo Martins e Galp contribuíram para a queda do índice nacional. A EDP caiu 1,09% para os 2,634 euros, a Jerónimo Martins desvalorizou 1,72% para os 14,3 euros, enquanto a Galp  Energia perdeu 0,16% fechando a sessão nos 12,5 euros.

No sector bancário, o BANIF e o BCP fecharam a sessão com a sua cotação inalterada em relação ao dia anterior. Já o banco liderado por Ricardo Salgado caiu 0,28% para os 0,725 euros, enquanto que o BPI desvalorizou 1,82% para os 97 cêntimos por ação.

Destaque, também, para a Sonae Indústria que viu o seu valor em bolsa descer 2,52%, para os 0,464 euros por ação. Tal como Sonae Indústria, também a Sonae e a Sonaecom desvalorizaram na praça lisboeta, 1,13% e 1,86%, respetivamente.

Agosto é sinónimo de férias e muitos investidores estão longe dos mercados bolsistas, tornando-os menos líquidos, havendo uma maior pressão do lado de quem vende. “O volume, como é habitual no inicio do mês de Agosto foi ligeiro, com 128 milhões de Euros negociados. Nos últimos 12 meses o PSI20 negociou em média 172 milhões de Euros por dia”, conclui Francisco Almeida.

Profissionais

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos