Tags: Obrigações | Ações |

Bolsa nacional volta a subir


O PSI20 fechou a valorizar, pelo segundo dia consecutivo, fechando a sessão com ganhos de 0,23%, para os 6045,78 pontos, com onze empresas no verde, sete a tombarem e duas inalteradas.
 
Os ganhos foram curtos, com apenas uma cotada a subir mais de 1%, no caso as Sonae Industria que valorizou 3,46% para os 0,53 euros por ação. 
 
No setor bancário, nenhuma das instituições valorizou. O BPI e o BCP fecharam inalteradas. Já o Banif caiu para valer 1 cêntimo por ação. O Bes caiu 0,24% para os 84,3 cêntimos de ação.
 
Os outros pesos pesados valorizam, com o Galp a subir 0,69% para os 13,125 euros por ação, a dona do Pingo Doce cresceu 0,33% para os 15,38 euros e a EDP valorizou 0,18% para os 2,71 euros. A Portugal Telecom subiu 0,7% para fechar a sessão nos 3,16 euros.
 
Foi com um sentimento misto que a Europa viu hoje os seus mercados acionistas. O Stoxx Europe 600 subiu para o máximo dos últimos três meses, com uma valorização de 0,2%. O dia de indefinição pode ser justificado com o facto dos Estados Unidos terem mostrado alguma abertura sobre o conflito na Síria.
 
Para José Barroso, do Popular Gestão de Activos, "Consequência, ou não, da decisão do Presidente dos EUA que pediu o adiamento da votação no Congresso sobre a intervenção na Síria, os mercados tiveram no dia de hoje um comportamento sem tendência definida e sem grandes oscilações, contrapondo assim às recentes valorizações que os principais índices obtiveram nos últimos dias. Quanto aos índices americanos estes estão a ter uma evolução idêntica à da Europa, mas é de destacar o comportamento da Apple que esteve a perder cerca de 5%, resultado de ontem ter apresentado novidades, novos modelos com um leque de preços mais alargado que a actual oferta e um novo sistema operativo, que ficaram aquém das expectativas dos investidores."
Profissionais

O Mais Lido

Próximos eventos