Tags: Obrigações | Ações |

Bolsa fecha última sessão do mês a cair mais de 1%


O índice de referência nacional fechou o último dia do mês de outubro a cair 1,09% para 6.245,84 pontos, com 11 cotadas a descer, sete a subir e duas inalteradas. Entre as bolsas europeias o PSI-20 foi a única que resvalou. O destaque vai para a bolsa espanhola que valorizou mais de 1,3%. As valorizações na Europa são justificadas pelos resultados de algumas das cotadas mais importantes nos mercados domésticos. "Os mercados europeus, em geral, subiram animados pelos resultados do Banco Popular - que foram positivos e melhores do que o esperado, embora tenham descido face ao mesmo período do ano passado – e pelos resultados do BNP Paribas, que não só foram positivos como subiram face ao período homólogo. Estas notícias animaram o sector da banca europeia e, em particular o sul da Europa", ressalva Rui Bárbara do Banco Carregosa.

Pesos-pesados a cair

Entre as quedas, o destaque vai para a Jerónimo Martins que caiu 4,83%, fechando a sessão a cotar nos 13,61 euros. A dona do Pingo Doce apresentou os resultados do terceiro trimestre esta manhã e tocou, inclusivé, nos mínimos do ano durante o dia de hoje. "A Jerónimo, pela primeira vez desde há muito tempo, veio desiludir os investidores com o abrandamento do crescimento das vendas na Polónia. A Polónia representa cerca de 70% da actividade da JM e os resultados ficaram substancialmente abaixo do previsto”, afirma Rui Bárbara.

As ações da Portugal Telecom também deslizaram hoje quase de 2,5%, fechando o dia a valer 3,325 euros por ação. Já a Galp caiu 1,27% para os 12,48 euros. Também em queda esteve a ZON Optimus que fechou a sessão a cotar nos 5,06 euros.

BPI positivo

No setor bancário, o destaque vai para o BPI que cresceu 4,56%, para os 1,17 euros. A instituição liderada por Fernando Ulrich apresentou ontem os seus resultados tendo hoje recolhido os frutos dos lucros de 72,7 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano.

Já o BCP e o BES viram as suas ações cairem 0,36% e 1,72%, respetivamente. O BCP fechou a sessão nos 11 cêntimos, já o banco de Ricardo Salgado está a cotar nos 97 cêntimos.

Próximos eventos