Tags: Obrigações | Ações |

Bolsa de Milão é a que mais sobe em 2014


Dos índices analisados através do Market Insights, pela J.P.Morgan Asset Management, o italiano FTSE MIB foi aquele que apresenta a maior valorização em 2014, até à semana passada, com 14,7%, seguido do espanhol com 12,9%.  Analisando nos últimos doze meses, os dois primeiros invertem posições, com o índice espanhol a dominar com 46,9% seguido do italiano com 42,1%.

Entre os índices “MSCI” analisados, o que mais valorizou em 2014 foi o MSCI Europe com ganhos na ordem dos 5,5%, seguido dos MSCI Emerging Markets com 4,3%, mostrando que a recuperação nos emergentes foi conseguida. Já o MSCI China apresenta quedas na ordem dos 0,8%. Já a doze meses o MSCI Europe lidera com 20,4% seguido do MSCI China com 18,3%.

Utilities mantêm liderança

O sector das utilities continua a ser o mais rentável em 2014, depois de o ter sido durante o primeiro trimestre. Este sector, segundo as contas da gestora, apresenta uma rendibilidade de 15,1% em 2014 seguida do sector da energia com 12,5%. Acima de 10% ainda vem o sector da saúde com ganhos de 10,9%.

Taco-a-taco: Value vs Growth

Nos últimos doze meses, os estilos de investimento mais utilizados andam de “mão dada”. Segundo Market Insights, o estilo Value valorizou 21,7% enquanto o Growth se fixou em 21,6%. Já em 2014 a diferença é maior, com o value a ganhar ao growth com 6,6% contra os 4,8%.

Mais obrigações...menos ações

Olhando para os fluxos dos fundos, os produtos do mercado monetário continuam a ser aquele que os investidores têm andado mais afastados, com uma saída nas últimas quatro semanas de 8,1 mil milhões de dólares.

Já entre as obrigações e as ações, as primeiras sofreram entradas de 1,5 mil milhões de dólares enquanto as ações seguiram em sentido inverso com saídas de cerca de 300 milhões de dólares.

Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos