Banif Euro Tesouraria ‘ganha’ a dois anos


Está quase a fazer um ano que a denominação dos fundos de tesouraria foi modificada para fundos de curto prazo, segundo a categorização da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios - APFIPP. De acordo com a Associação, os fundos de curto prazo “investem em activos de elevada liquidez, sendo que mais de 50% dos activos em carteira devem ter prazo de vencimento residual inferior a 12 meses”.

Nestas condições encontramos nove produtos, que nos dois anos anteriores ao dia 20 de novembro apresentam uma rendibilidade anualizada média de 0,56%. Entre os fundos, aquele que apresenta o melhor resultado é o Banif Euro Tesouraria. O fundo é gerido pela Banif Gestão de Activos e no período em análise atinge ganhos de 1,08%, sendo o único produto da categoria que supera os ganhos de 1%. É um dos fundos cinco estrelas do mercado nacional, e tem um património sob gestão de 22 milhões de euros, com os maiores investimentos a serem direcionados para depósitos a prazo e obrigações da Semapa e da Caixa Geral de Depósitos.

Com uma rendibilidade anualizada nos últimos dois anos de 0,84% vem o Dunas Banco BIC Tesouraria denominado em euros. O fundo é da responsabilidade da Dunas Capital e é gerido por Pedro Alves e por Pedro Fernandes. Sobre o processo de escolha dos ativos que compõem esta carteira, Pedro Alves afirmou no final do ano passado à Funds People que "a seleção de ativos numa perspetiva de curto prazo depende da aversão ao risco em cada momento, do perfil de risco-retorno a nível individual e do ‘fit’ na carteira”. Entre os maiores investimentos encontramos dívida corporativa de empresas como o BCP ou ainda dívida estatal de países como, por exemplo, a França. O seu património sob gestão ascende a mais de 44,5 milhões de euros com o maior investimento a ir para títulos de dívida do Barclays.

O terceiro fundo com maior rendibilidade é o Popular Tesouraria. Gerido pela Popular Gestão de Activos o fundo era o melhor de 2015 até ao dia 9 de outubro. No período de dois anos a rendibilidade do fundo atinge ganhos de 0,8% e mais de 18 milhões de euros em investimentos. Segundo o prospeto do produtos, este investe em “valores mobiliários de curto prazo e baixa volatilidade, depósitos bancários com maturidades residuais inferiores a 12 meses, e instrumentos do mercado monetário” com o maior investimento em carteira a ir para um depósito à ordem no Banco Popular, seguido de Papel Comercial da cotada nacional F. Ramada.

Barreira dos 0,5%

Existem, ainda, mais dois fundos que conseguem ultrapassar a barreira dos 0,5% de rendibilidade anualizada nos últimos dois anos. São eles: o Patris Tesouraria e o NB Tesouraria Ativa.

O primeiro fundo é gerido pela Patris Gestão de Activos e regista ganhos de 0,68%. No final de outubro o seu património era de 8,4 milhões de euros e o maior investimento estava em dívida da Petrobras. Na ficha do produto, referente ao mês de outubro, a entidade afirmava que o mês tinha sido “bastante positivo para a generalidade dos mercados de activos de risco. A divulgação de dados económicos um pouco mais robustos na China, a aparente estabilização de alguns dos mercados emergentes mais pressionados, bem como uma maior tolerância ao início do processo de subida de taxas por parte da Reserva Federal funcionaram como catalisadores para esse bom desempenho”. Já no final do primeiro trimestre do ano, em conversa com a Funds People, da entidade explicavam que o conhecimento dos emitentes é essencial para o sucesso do produto. Falavam das “ferramentas sólidas de análise fundamental”, mas também do “conhecimento profundo dos emitentes”.

O segundo produto identificado é da GNB Gestão de Ativos e é gerido Amit Maugi. Nos últimos dois anos a rendibilidade do produto foi de 0,64% e no final de outubro geria mais de 52 milhões de euros. No mês de outubro foram vários os factores que ajudaram o fundo, entre os quais a “exposição a ativos do sector financeiro e dívida pública de curto prazo”; a “redução da yield da dívida pública alemã” e ainda a “exposição a ativos dos países emergentes”.

Os fundos de curto prazo nos últimos dois anos

FundoGestoraRendibilidade 2 anos
Banif Euro TesourariaBanif Gestão de Activos1,084
Banco BIC Tesouraria - Categoria ADunas Capital0,849
Popular TesourariaPopular Gestão de Activos0,800
Patris TesourariaPatris Gestão de Activos0,689
NB Tesouraria AtivaGNB Gestão de Ativos0,648
Lynx Euro TesourariaLynx Asset Managers0,566
Montepio TesourariaMontepio Gestão de Activos0,402
BPI LiquidezBPI Gestão de Activos0,390
IMGA LiquidezIM Gestão de Activos0,313
Santander MultiTesourariaSantander Asset Management-0,094
Fonte: APFIPP no dia 20 de novembro
Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos