Tags: Negócio |

Bancos recuperam o fôlego em 2014


Depois de 2013 ter sido um annus horribilis para a banca nacional, em 2014 a recuperação disse “presente” na maior parte dos bancos nacionais. Mesmo num ano que ficará para a história devido ao que aconteceu no Banco Espírito Santo, 2014 marcou também o ‘virar de página’ nos maiores bancos em Portugal.

Entre os maiores bancos nacionais com a divulgação das suas contas na CMVM até ao dia 14 de Abril, apenas um não conseguiu melhorar o seu resultado líquido em 2014 face ao ano anterior: o Banco BPI. Segundo o comunicado publicado pelo regulador, o prejuízo foi motivado pelos "resultados não recorrentes na actividade doméstica com um impacto negativo de 264,3 milhões de euros". Sem esses resultados, "o lucro líquido consolidado ascenderia a 102,6 milhões de euros".

Das instituições analisadas, apenas o Banco Santander conseguiu ter resultados positivos nos últimos dois anos, com o Banco Popular a virar completamente a página e a passar de prejuízos para lucros. Os restantes bancos analisados – Millennium BCP, Banif, CGD e Montepio Geral - melhoraram a sua situação face a 2013, embora ainda continuem no vermelho.

Sete instituições valem mais de 50 mil milhões de euros

Olhando para a componente da gestão de ativos – especificada como Recursos Fora de Balanço das entidades em análise, verificamos que esta, no final de 2014, valia mais de 50 mil milhões de euros. A Caixa Geral de Depósitos continua a ser a maior instituição no que a gestão de ativos com mais de 27 mil milhões de euros, seguindo-se o Millennium BCP com 12.146 milhões de euros.

Recurso Fora do Balanço das instituições financeiras analisadas

Valores em Milhões de Euros

Fonte: Resultados divulgados pela CMVM, referentes a 2014, dos bancos: Millennium BCP, Banif, BPI, Santander, CGD, Montepio Geral e Popular.

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos