Tags: Negócio |

As gestoras com a melhor imagem de marca


Em momentos de incerteza, todos nos agarramos àquilo que conhecemos. Os selecionadores de fundos não são exceção. Se olharmos para os dados da edição de 2016 do relatório Fund Brand 50 que elabora anualmente a Fund Buyer Focus (filial da MackayWilliams LLP), é visível que contar com uma marca forte é ainda mais relevante para as gestoras de fundos em períodos de instabilidade.

“Quando a confiança dos investidores é baixa, a marca ganha relevância no processo de seleção de fundos porque os investidores procuram refúgio na imagem da estabilidade que projetam as gestoras maiores e mais conhecidas”, explica a diretora do FBF, Diana Mackay, que destaca que este fenómeno foi evidente em 2015, um ano de volatilidade para os mercados, no qual as gestoras com as marcas mais fortes se repetiram como favoritas, “muito embora os seus produtos estrela não estivessem entre os preferidos dos investidores”. No entanto, aconteceram algumas mudanças no ranking relativamente ao ano anterior.

As dez gestoras internacionais com a marca mais atrativa

Posição

Gestora

Mudança face a 2015

1

BlackRock

--

2

JP Morgan Asset Management

--

3

Fidelity International

--

4

Franklin Templeton Investments

--

5

M&G Investments

--

6

Schroders

--

7

Invesco Asset Management

1

8

Deutsche Asset Management

-1

9

Carmignac

2

10

Pictet Asset Management

-1

Fonte: Fund Buyer Focus. O relatório Fund Brands 50  mede a atratividade relativa das marcas das gestoras de fundos em dez categorias

Embora o ‘top 10’ das gestoras internacionais com a marca mais atrativa aos olhos dos selecionadores tenha experienciado poucas mudanças relativamente ao ano passado, o resto do ranking teve alguns movimentos interessantes. Por exemplo a iShares e a Vanguard avançaram significativamente, impulsionadas pelas pressões dos custos e pelas mudanças regulatórias que apoiam o crescente êxito das estratégias de gestão passiva.

A edição deste ano inclui quatro novas entidades, destacando-se entre elas a alemã Flossbach von Storch, que no passado mês de setembro desembarcou em Espanha. Distinguida como a boutique mais valorizada pelos selecionadores de fundos europeus em 2014, a entidade independente alemã situou-se um  ano depois no posto 32 (de 50) da classificação geral. A T. Rowe Price, por seu lado, viu o seu esforço ser recompensado por desenvolver a sua presença no segmento de retalho, com o posto 46 da classificação geral.

Na categoria de boutiques, o primeiro posto pertenceu, este ano, à casa nórdica Lannebo Fonder, cuja ascensão reflete o maior apetite dos investidores pelas entidades especializadas nos seus respectivos mercados globais. Como explica Mackay, “as gestoras especializadas capazes de gerar alfa continuam a despertar muito interesse mas, inclusive no caso das entidades mais pequenas, os selecionadores dão uma grande importância à solidez corporativa e identificam a estabilidade da equipa de investimento como o factor de maior peso na hora de valorizar a marca”.

Empresas

Próximos eventos