Tags: Emergentes | Latam | Ações |

As gestoras brasileiras que arrecadam os fundos “excelentes”


O ano passado não foi um ano fácil para a gestão de ativos no Brasil. A indústria de fundos sofreu com a alta volatilidade na renda fixa (obrigações), enquanto a má performance da bolsa doméstica impôs resgates líquidos na ordem dos 44 mil milhões de reais no segundo semestre. Neste contexto, e segundo a publicação brasileira Investidor Institucional,  as gestoras brasileiras que conseguiram “segurar-se” melhor foram aquelas que se pautaram por uma estratégia mais conservadora nesse período. 

Santander lidera na corrida 

Num total de 564 fundos em análise, a Santander Asset Management saiu vencedora do ranking de melhores fundos, com 22 produtos classificados como “excelentes”. A gestora, ao contrário de outros pares do mercado, optou por estratégias mais conservadoras, tendo arrecadado 14 fundos de renda fixa (obrigações) com nota mais elevada. Qualificados como excelente, foram também 8 produtos da categoria multimercados. Em declarações à Investidor Institucional Luciane Ribeiro, diretora executiva da Santander Asset Management referia precisamente que “a indústria sofreu muito no ano passado com a rentabilidade dos fundos de índices, em muitos casos negativa. A renda variável também foi bastante prejudicada pelo desempenho da Bolsa brasileira. Nesse contexto, os produtos mais conservadores foram os que mais se destacaram”. 

A gestora conseguiu ainda destacar-se ao nível dos produtos com alocação a crédito privado. “Temos vindo a aumentar a exposição a crédito privado das nossas carteiras nos últimos anos. São ativos de crédito privado com predominância de papéis com rating triplo A, pois somos bastante conservadores”, disse também a responsável à publicação brasileira. 

A compor o top 3

No segundo posto, aparece a Itaú Asset Management com 15 fundos nomeados como excelentes. Neste caso, a entidade consegue ter estes produtos distribuídos por praticamente todas as categorias. Contas feitas, a gestora apresenta seis fundos de renda fixa com nota máxima, quatro inseridos na classificação de multimercados  e cinco pertencentes a renda variável. 

A fechar o pódio, a terceira posição é ocupada pela BB DTVM. A gestora do Banco do Brasil figura “colada” à posição do Itaú, com 14 fundos indicados como excelentes, sendo que sete pertencem à categoria de fundos de renda variável  e os restantes sete se incluem na categoria de renda fixa.  

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos