Tags: Negócio |

As carteiras mais diversificadas. Geridas a pensar no futuro.


No universo das pessoas com um património elevado (HNWI – High Networth Individuals, na nomenclatura em Inglês), não são raras as situações onde a fortuna dos clientes pode não estar vinculada a uma única instituição financeira ou apenas a ativos tradicionais. Na realidade, percebemos o quanto, cada vez mais, os clientes de patrimonio elevado estão dispostos a investir em ativos mais complexos para baterem o rendimento médio do mercado vinculado aos ativos financeiros tradicionais, como ações ou títulos. Entre outros, os investimentos imobiliários, os private equity e inversões alternativas são opções interessantes para este tipo de investidores, no entanto, a sua administração e gestão é complexa e requer competência e conhecimentos técnicos profundos.

Desde a década de 90, momento em que o negócio transfronteiriço de “Unit-Linked” para investidores com elevado património começara a desenvolverse rapidamente no Luxemburgo, o Grão-Ducado distinguiu-se sempre pela promulgação de um conjunto de regras flexível e personalizado, adaptado às necessidades deste tipo de clientes, dispostos a estruturar a sua riqueza através de seguros de vida “Unit-Linked. Um bom exemplo disto é a última circular do Commissariat aux Assurances (CAA) sobre as regras de investimento (Circular 15/3, em vigor desde o 1.º de Maio de 2015) para produtos de seguros de vida vinculados a fundos de investimento onde, por exemplo, nas apólices “Tipo C” (aquelas onde o investimento mínimo do tomador do seguro em todos os contratos de seguro de vida ativos ascende a 250 000 € e o montante do patrimonio do tomador da apólice investido em valores excede 1 250 000 €), o premio pode ser investido sem limitações em ativos complexos, tais como fundos alternativos (nomeadamente, hedge funds), fundos imobiliários ou ações de empresas não cotadas. Esta é, sem dúvida, uma característica distintiva dos produtos de seguros de vida Unit-Linked do Luxemburgo, quando, por norma, o prémio é investido em ativos financeiros “clássicos ou standard”, como fundos de investimento regulamentados, normalmente, fundos de investimento que respeitam diretiva UCITS.

Como resultado desta maior flexibilidade, os indivíduos com um elevado património residentes em Portugal podem ampliar o seu leque de alternativas de investimento para além das opções tradicionais, de modo a obterem um rendimento esperado superior, mas mantendo um portfolio diversificado entre investimentos de baixo, médio e alto risco. Na Lombard International Assurance, desenvolvemos uma experiencia aprofundada sobre como integrar, administrar, valorizar e monitorizar os ativos não tradicionais, de forma a serem incluídos numa solução holística de planeamento patrimonial e sucessório. Em termos concretos, na Lombard International Assurance S.A., dedicamos recursos específicos, nomeadamente uma equipa de especialistas de diversas áreas totalmente dedicada, para avaliar cuidadosamente cada tipo de ativos desde uma perspetiva legal, regulamentar, de risco e fiscal, não apenas na fase de emissão da apólice e entrada em efeito do contrato de seguro, mas durante todo o período de vigência da apólice.

Caso Pratico*

No presente exemplo, descrevemos a situação de uma familia empreendedora que criou e geriu durante muitos anos um negócio bem sucedido de fabrico de mobiliário perto da cidade do Porto, o qual venderam há alguns anos. A maior parte da riqueza decorrente desta venda foi reservada para criação e preservação do património. Grande parte desta fortuna foi centralizada num Family Office com o objetivo de a fazer crescer e de planear a sua transferência para as futuras gerações. No entanto, parte será destinada para oportunidades de negócios, refletindo a constante apetência pelo risco da família.

Os clientes Sr. Acosta e Sra. Antunes pretendem reformar-se brevemente no Algarve e delegar mais no Family Office para gerir os seus ativos. Este casal tem 3 filhos – dois filhos que moram em Lisboa e uma filha que habita na Suécia.

Os clientes manifestaram claramente a sua vontade de apoiar financeiramente os seus filhos no âmbito de um esquema fiscal eficiente, sustentando a riqueza familiar ao longo das gerações. Como empresários, eles estão interessados em manter uma estratégia de médio a alto risco, com a capacidade de ultrapassar os ativos standard ou classicos que tinham anteriormente à disposição para produtos mais sofisticados, como investimentos diretos em oportunidades de private equity no mercado europeu e em fundos imobiliários que permitem investimentos na economia real, bem como hedge funds ou productos estruturados. Neste sentido, eles mantiveram contacto com os bancos que os aconselharam na venda do seu negócio e desejam que permaneçam como conselheiros financeiros preferenciais no futuro.

Para além das várias conversas entre o Family Office, os advogados do cliente, os consultores financeiros e a Lombard International Assurance, os clientes perceberam que a contratação de um Seguro de Vida da Lombard International Assurance lhes permitia aceder a um amplo e abrangente leque de ativos complexos por além das estratégias tradicionais de investimento oferecidas pelas instituições bancárias nacionais. Neste sentido, o Family Office, com o consentimento dos clientes, decidiu seguir uma estratégia de investimento que lhes permitisse alcançar objetivos de investimento específicos, ampliando e diversificando o seu portfólio e acedendo a uma oferta mais ampla de ativos financeiros de instituições financeiras localizadas na Europa e nos Estados Unidos.

De acordo com o planeamento de sucessão, as cláusulas dos beneficiários refletem os desejos dos clientes, nomeando os filhos como beneficiários e permitindo que a o patrimonio familiar seja transferido por gerações de forma flexível e pré-estabelecida, mantendo as relações bancárias de confiança ao longo das gerações. Por exemplo, os clientes foram capazes de estabelecer na apólice eventuais restrições relacionadas com a idade dos beneficiários ao aceder aos rendimentos ou com os limites quanto aos valores a serem distribuídos anualmente.

Pablo Peciña Toña, Gonzalo García Pérez (Senior Wealth Planners) & Ewelina Mackowska (Manager – Ativos Não Tradicionais)

* O estudo de caso ficcional supra mencionado é um exemplo hipotético, que pode ter pouca ou nenhuma relação com as circunstancias particulares dos clientes. Foi elaborado com a intenção de refletir cenários de cliente e mercado bastante idênticos, destinando-se apenas para fins informativos e não para assessoria ao cliente. A Lombard International Assurance S.A. não é responsável pela precisão, integridade, fiabilidade ou utilidade de quaisquer conteúdos ou opiniões presentes na mesma, e não garante que tais informações assegurem um resultado positivo.

2016: Ano recorde para o Grupo Lombard International

Com um prémio proveniente de novo negócio de 4,5 mil milhões de euros, a Lombard International estabeleceu um novo recorde na história da empresa atingindo um total de 40,5 mil milhões de euros de ativos sob gestão para HNWIs (a data de 31 de Dezembro de 2016) e de 37 mil milhões de euros de ativos sob gestão para o negócio institucional. Além disso, a empresa expandiu a sua presença global a novos horizontes, abriu escritórios em Bruxelas, Paris, Ilhas Bermudas, Miami, Nova Iorque, Hong Kong e Singapura, e fez uma aquisição significativa como o negócio de soluções bancárias privadas Zurich Eurolife S.A., no Luxemburgo.

Na Península Ibérica, em 2016, a empresa consolidou a sua posição de referência com prémio proveniente de novo negócio no valor de 421 milhões de euros e com ativos sob administração no valor de 3,364 mil milhões de euros.

Para mais informações, convidamo-lo a contactar os nossos representantes em Portugal:

Enrique Barroso Recasens

enrique.barroso@lombardinternational.com

+351 917 228 500 ou +34 661 905 768

Pedro Martinho Soares

pedro.soares@lombardinternational.com

+351 964 816 454

www.lombardinternational.com

 

Empresas

O Mais Lido

Próximos eventos