Tags: Ações |

As ações em destaque no mês de julho


Julho é já um mês de verão, e se muita gente começa já a usufruir do seu período de férias, também os mercados acabam por refletir variações significativas no volume transacionado. No entanto, esse volume, tipicamente reduzido, não tem sido garantia de um verão calmo e, na verdade, nos últimos anos os verões têm sido ricos em eventos que impactam os mercados. O Brexit, a destituição de Dilma Rousseff como presidente do Brasil ou a suspensão das ações do BES em mercado, foram episódios que animaram os verões e arrancaram muitos profissionais da praia para as mesas de trading.

Contudo, o último mês de julho foi um mês calmo para os mercados de ações. A generalidade dos mesmos apresentou retornos positivos ou nulos, embora o Dax e o Nikkei tenham recuado um pouco no mês.

Captura_de_ecra__2017-08-31__a_s_12

Fonte: Orey

Segundo dados da CMVM referentes a esse mês, a alocação a algumas geografias dos investimentos em ações da globalidade dos fundos de investimento mobiliários nacionais apresentou variações significativas que não refletem somente as flutuações do mercado. Enquanto por um lado a Austrália viu a sua alocação a crescer 12% durante o mês, por outro, os mercados espanhol e suíço perderam 5,8% e 7,5% do seu valor de mercado em carteira, respetivamente.

Captura_de_ecra__2017-08-31__a_s_11

Títulos em destaque

No que concerne os principais títulos de cada região as flutuações são também bastante marcadas. No mercado nacional é a Galp e os CTT que se destacam pela positiva, refletindo um aumento do interesse dos fundos de investimento nacionais. No lado oposto, a NOS é um título que perde 11,7% do seu peso na carteira global, reflexo de movimentos de tomada de mais valias ou desinvestimento. Também a Corticeira Amorim e Altri seguem o mesmo caminho, com variações superiores a 10%, mas neste caso falamos de títulos cujo comportamento de mercado foi significativamente negativo no período em questão.

Nos mercados europeus o destaque vai para a BSCH e a sueca Hennes and Mauritz mais conhecida como H&M, com um crescimento superior a 20%. Também se destaca a petrolífera integrada Royal Dutch Shell que cresce 11,7% no peso nos fundos nacionais. Já a Samsung é o título mais penalizado no mês de julho, mês em que o valor do título subiu ligeiramente no mercado. A LVMH, empresa que opera as marcas Louis Vuitton e Cognac Hennessy apresenta também uma variação bastante mais acentuada do que a queda do valor de mercado.

Por fim, fora da União Europeia, o destaque vai para as ações norte-americanas, com a Intel a destacar-se num mês em que o valor do título subiu significativamente. Por outro lado a suíça Nestlé é a que apresenta uma variação negativa mais acentuada no mês, período em que o valor de mercado recuou pouco mais de 2%.

Captura_de_ecra__2017-08-31__a_s_11

Captura_de_ecra__2017-08-31__a_s_11

Captura_de_ecra__2017-08-31__a_s_11

Nota: Os dados constantes no artigo resultam das informações reportadas à CMVM pelas SGFIM, de acordo com a legislação em vigor.  A informação utilizada reporta-se à data de 2017-08-16 pelo que os resultados são  provisórios. A variação mensal refere-se sempre à comparação entre o mês de análise e o anterior.

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos