“Aproveitar o alcance dos modelos quantitativos analisando temas tradicionais das empresas”


As estratégias quantitativas da Schroders, denominadas como “uma nova geração de fundos”, têm cerca de 15 anos e foram desenvolvidas pela equipa de Tim Matthews.

O gestor explicou que a estratégia trata de “questionar visões mais conservadores do mercado e desenvolver uma filosofia de investimento baseada em três fases: análise da qualidade do negócio e das valorizações; a vantagem quantitativa de ter um universo global superior a 15.000 acções; e, por último, um ênfase no momento da tomada de decisão, isto é, uma compreensão do momento actual e uma procura de factores que potenciam o futuro”.

O fundo Schroders ISF QEP Global Quality é um dos fundos cuja gestão é feita sob esta estratégia. Trata-se de um fundo de acções global grande capitalização misto, com 993 milhões de dólares sob gestão e classificado com a notação de “bronze” pelo Morningstar 'analyst rating'. O fundo apresenta uma rendibilidade, nos últimos doze meses, de 13,23%. “O 'Global Quality' investe em negócios de qualidade que oferecem um crescimento estável, são rentáveis e apresentam uma excelente situação financeira”, referiu Tim Mattews numa conferência gestora, realizada em Lisboa. “Este enfoque de investimento é um complemento eficaz ao estilo valor tradicionalmente utilizado, já que oferece uma diversificação estratégica aos investidores que desejam construir uma carteira de acções mais equilibrada”, acrescentou o gestor da Schroders.

O fundo apresenta uma carteira cujos sectores dominantes são saúde (17,08%) e serviços financeiros (16,32%) sendo as cinco maiores posições, segundo a Morningstar a 30 de Setembro, a Royal Dutch Shell (1,41%), Ftse 100 Index Future Dec12 21Dec 2012 (1,30%), HSBC Holdings PLC (0,88%), Astra Zeneca PLC (0,74%), China Mobile Ltd (0,73%).  

Empresas

O Mais Lido

Próximos eventos