Tags: Obrigações | Ações |

Ações nacionais batem outras regiões


A liderança em 2013 foi clara: os fundos de ações nacionais bateram todas as rendibilidades das outras regiões mundiais, para a APFIPP. Segundo a associação, a categoria de fundos de ações nacionais obteve uma rendibilidade média de 25,13%. Em segundo lugar aparecem os fundos de ações da América do Norte com ganhos médios de 18,59%. Fecha o pódio a categoria de fundos de ações da União Europeia, Suíça e Noruega com uma valorização média de 15,25%. Para fechar o ranking aparecem os “outros fundos de ações internacionais”, onde se destacam as ações dos países emergentes. Esta categoria conseguiu crescer, em termos médios, 0,7%.

Portugal acelerou em 2013

2013 foi o ano da retoma económica em Portugal. A bolsa nacional valorizou cerca de 16% pelo este é o ponto de partida. São seis os fundos que pertencem a esta categoria e todos eles conseguiram bater, largamente, o índice nacional. A liderança vai para o fundo do Santander Asset Management, Santander Acções Portugal, com uma valorização de 31,94%. Em segundo lugar vem o BPI Portugal, da BPI Gestão de Activos com ganhos acima de 25%. Fecha o pódio o Banif Acções Portugal com uma subida de 24,72% em 2013.

 

BPI Gestão de Activos lidera na América do Norte

No mercado norte-americano a liderança coube ao produto BPI América – Categoria E com uma valorização de 21,07%. Em segundo lugar vem o fundo da ESAF, Espirito Santo Acções América, com uma subida em 2013 de 20,15%. Para fechar o top 3 aparece o Santander Acções América com 18,27% de ganhos no ano passado.

Santander Asset Management ganha na Europa

Já na categoria de fundos de ações da União Europeia, Suíça e Noruega, o grande vencedor é o fundo do Santander Asset Management, Santander Acções Europa, com uma subida de 21,33%. Este fundo tem como principais posições as francesas Sanofi e Total e a alemã Siemens.

Logo depois vem o Montepio Capital, da Montepio Gestão de Activos que conseguiu uma valorização pouco acima de 20%, onde se destacam as espanholas Industria de Diseno Textil e o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria e ainda a portuguesa Galp Energia.

Fecha o pódio o BPI Ibéria com ganhos de 19,37%. As portuguesas Galp Energia, Jerónimo Martins e Portugal Telecom dominam a carteira deste fundo da BPI Gestão de Activos.

Emergentes em queda

São mais de uma dezena de fundos que pertencem a esta categoria, segundo a APFIPP. Desses, apenas 4 conseguiram rendibilidades positivas durante o ano passado. O grande vencedor foi o fundo Patris Acções Globais da Patris Gestão de Activos que conseguiu uma rendibilidade de 17,17%. Os fundos Santander Gestão Private Acções, o Montepio Acções Internacionais e ainda o Caixagest Japão fecham o grupo dos produtos que conseguiram valorizar em 2013 nesta categoria.

Empresas

Outras notícias relacionadas


Anterior 1 3
Anterior 1 3

O Mais Lido

Próximos eventos