Tags: Obrigações | Ações |

Ações internacionais voltam a crescer nos fundos mais arriscados


Depois da queda sucessiva da presença das ações internacionais nos fundos de ações nacionais, o mês de maio inverteu a tendência. Entre dezembro do ano passado e abril deste ano a presença diminuiu em 7 pontos percentuais, passando de 70% para 63%. Já no mês passado o valor atingiu os 65% da carteira dos fundos de ações, segundo a APFIPP apresenta no seu último relatório mensal dos FIM.

Já as ações nacionais e a liquidez mantiveram a sua posição, em termos percentuais, na carteira destes fundos, com 29% e 9%, respetivamente.

Fundos com ações...tendência menos visível

Embora menos relevante, também houve um aumento entre abril e maio nas ações internacionais presentes na carteira dos fundos com ações, segundo a APFIPP. Em 2014 o valor tem oscilado entre os 32% e os 33%, sendo que no mês passado cresceu 1 ponto percentual para o valor máximo do ano. As ações nacionais e a liquidez mantiveram a sua posição com 12% e 10%, respetivamente.

Menos liquidez

Já na totalidade dos fundos de investimento mobiliários não houve mudanças, tanto nas ações nacionais como nas internacionais. A alteração nos 237 fundos analisados pela APFIPP, face ao mês passado, reside na liquidez que desceu 1 ponto percentual para 28%, sendo este o valor mais baixo de 2014.

Fundos de ações: Fundos de Ações Nacionais, Fundos de Ações da América do Norte, Fundos de Ações da União Europeia, Suíça e Noruega, Fundos de Ações Sectoriais, Fundos de Ações Internacionais e Fundos de Poupança Ações.

Fundos com ações: Fundos de ações, Fundos mistos e Fundos Flexíveis, Fundos Poupança Reforma cuja política de investimentos permita o investimento em ações e os Fundos Especiais de Investimento cuja política de investimentos permita o investimento em ações.

Fonte: APFIPP a 31 de maio de 2014.

Próximos eventos