Tags: Ações | Europa |

Ações do sector energético em destaque nos últimos doze meses


Recentemente analisámos o comportamento nos últimos doze meses dos fundos de ações nacionais, uma das categorias da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios (APFIPP), e observámos que todos eles bateram o principal índice bolsista português.

Desta feita, agora o foco é a categoria de fundos de ações sectoriais, onde se inserem os produtos cuja política de investimento está centrada em determinados sectores. Esta categoria é composta por apenas seis fundos, sendo que desses seis, cinco são geridos pela Montepio Gestão de Activos, e o outro fundo é da responsabilidade da IM Gestão de Ativos.

Do conjunto de seis fundos, o que apresenta o melhor desempenho no último ano é o Montepio Euro Energy. O fundo cuja política de investimento, segundo a entidade, “consiste em constituir uma carteira diversificada de ações de empresas europeias, que operem no sector de energia” apresenta uma rentabilidade de 18,45%. A 30 de abril de 2017, o fundo detinha um volume sob gestão superior a 3,9 milhões de euros, sendo que as suas três maiores posições são todas empresas do sector gasolineiro: Total; Royal Dutch Shell; e BP.

A segunda melhor performance no período em questão pertence a um outro fundo gerido pela Montepio Gestão de Activos, o Montepio Euro Financial Services, que apresenta uma rentabilidade de 18,37% nos últimos doze meses. O fundo investe em ações de empresas europeias que operam no sector da Banca e Seguros, apresentando um volume sob gestão de cerca de 3,2 milhões de euros. Entre as maiores posições, a três principais são ING Groep, HSBC Holdings, Allianz.

Com um rentabilidade um pouco mais baixa, surge o único fundo da IM Gestão de Ativos presente nesta categoria, o IMGA Eurofinanceiras. Com 13,67%, este é o terceiro melhor fundo. À semelhança do fundo anterior, a política de investimento consiste em investir em ações de empresas “cuja atividade principal consiste na prestação de serviços financeiros, designadamente bancos, seguradoras e outras entidades que prestem serviços do mesmo âmbito”. Na ficha de abril, Nuno Marques, gestor do fundo, destacava o momento positivo do sector financeiro da europa, impulsionado “pelos serviços financeiros (+4,5%) e pela banca (+3,1%), tendo o setor dos seguros alcançado um desempenho idêntico ao do mercado europeu (+1,8%)”. Por outro lado, a 28 de abril deste ano apresentava um volume de ativos sob gestão de 19,1 milhões de euros. Como maiores posições surgem o HSBC Holdings, Allianz AG e BNP Paribas.

A quarta posição pertence ao Montepio Euro Healthcare, que regista ganhos de 13,20% no período em questão, detendo um património de 10,8 milhões de euros. Este é um fundo “que visa a constituição de uma carteira diversificada de ações de empresas europeias, que operem no setor de Saúde/Farmacêuticas”, pode ler-se no prospeto do produto. As maiores posições são ocupadas pela Novartis e Sanofi.

Imediatamente a seguir surge o Montepio Euro Utilities com ganhos de 7,43% e um volume de ativos sob gestão de 9,8 milhões de euros. Segundo a ficha de produto, o fundo investe em cotadas europeias, que "operem no sector de utilities, incluindo-se neste universo as empresas concessionárias de autoestradas". Nas maiores posições, o destaque vai para a National Grid e a Enel.

Com uma rentabilidade de apenas 3,54% surge o Montepio Euro Telcos, um fundo que investe em ações de empresas europeias que operam no sector das telecomunicações, sendo o produto com menor rentabilidade no período em questão. A 30 de abril, o volume sob gestão ascendia a 5,627 milhões de euros e a Deutsche Telekom, Orange e a Vodafone Group eram as suas três maiores posições.

Captura_de_ecra__2017-06-1__a_s_11

Fonte: APFIPP, 26 de maio de 2017

Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos