Tags: Alternativos |

A última década nos fundos imobiliários


No passado mais recente, os fundos imobiliários não se têm destacado muito pela positiva, mas nos últimos dez anos encontramos produtos com boas rendibilidades anualizadas no mercado nacional. Nos últimos anos, entre os fundos imobiliários abertos que fazem parte da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP – existem três que se destacam de forma consecutiva: o VIP da Silvip, o CA Património Crescente da Square Asset Management e ainda o Imofomento da BPI Gestão de Activos.

Da dúzia de produtos associados da APFIPP, nas categorias de Imobiliários Abertos de Acumulação e Abertos de Rendimento, dois não apresentam dados para os últimos dez anos, entre os quais o CA Património Crescente da Square AM. Da dezena de produtos restantes, oito registam rendibilidades anualizadas superiores a zero, com o VIP da Silvip a liderar com 3,78%. Este é também o fundo que mais se destaca, em termos de desempenho, nos primeiros meses de 2015.

Acima de 3% de ganhos ainda surge um outro fundo: o Imofomento gerido pela BPI Gestão de Activos. Nos últimos dez anos a sua rendibilidade anualizada é de 3,09% sendo um dos fundos que menos caiu desde do início da crise financeira.

Dois fundos na fronteira do 2% e 3%

De seguida surgem dois fundos cujo patamar de rendibilidade se situa entre os 2% e os 3%. Com uma rendibilidade de 2,34% surge o Finipredial que está sob responsabilidade da Montepio Valor. Já com 2,29% figura o Fundimo que é gerido pela Fundger. Os dois fundos totalizam cerca de 900 milhões de euros em ativos sob gestão, com o produto da Fundger a ser o maior do mercado nacional com cerca de 650 milhões de euros em património.

Rendibilidades dos fundos imobiliários na última década

Fonte: APFIPP no final de maio. Rendibilidades anualizadas.
* Fundo Aberto de Acumulação
** Fundo Aberto de Rendimento
Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos