A rotação das carteiras em 2012


Os fundos de investimento abertos são os mais ativos, com uma mediana de 1,05 para a rotação média de carteiras, segundo os dados publicados pela CMVM relativos ao ano passado. Já os Unit-Linked ficam em segundo lugar com uma mediana de 0,33 enquanto que os fundos de investimento fechado apresentam um mediana de 0.

Obrigações com maior rotação que ações

Os fundos de obrigações apresentaram, em 2012, um rotação média da carteira maior do que os fundos de ações. Os fundos de ações apresentaram um valor de 1,05, já os fundos de obrigações tiveram uma mediana de 1,23. Inclusive, apenas os Fundos Flexíveis e os Fundos de Poupança Ações e Fundos Poupança Reforma apresentam um valor mediano maior do que as obrigações,  com 4,40 e 2,27, respetivamente. Nos Fundos Flexíveis a rotação é elevada porque estes fundos “exigem uma gestão mais ativa”. Já os FPA e os FPR “a maior rotação pode estar associada à necessidade de proceder a ajustamentos na composição da carteira em virtude da elevada percentagem de resgates ocorridos nos fundos de poupança reforma”, segundo a publicação do regulador.

Já os fundos que apresentam a mediana mais baixa, dentro do FIA, são os fundos especiais de investimento e os fundos de investimento imobiliário, com 0,01 e 0,03, respetivamente. Já os fundos de fundos apresentam uma mediana de 0,98.

Unit-Linked de ações e obrigação com maior rotação

Já no segmento Unit-Linked, é na categoria de Ações e Obrigações que ocorre  a mediana mais alta, com o valor a fixar-se nos 1,56. Perto de um (0,99), vem a categoria de Ações, Obrigações, Fundos de Investimento Não Harmonizados e Harmonizados.

“A rotação média das carteiras dos unit-linked varia com as características dos ativos dos fundos autónomos”, segundo o relatório.

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

O Mais Lido

Próximos eventos