Tags: Obrigações | Ações |

“A recuperação avança a um ritmo mais rápido do que o previsto”


O último Observatório Económico sobre Portugal elaborado pela equipa de Research do BBVA, enumera uma série de indicadores positivos que demonstram que ao estímulo da procura global se tem unido um maior dinamismo da despesa privada no nosso país.

Segundo o documento da entidade “a melhoria da procura, sobretudo externa, parece suportar a incipiente recuperação”. A comprovar isso, é referido que no último trimestre do ano a produção industrial registou um aumento trimestral de 2,5%, encerrado 2013 com um aumento de 0,9% em relação a 2012.

Tal como já dava conta num dos seus últimos documentos, é indicado que o desemprego continua a diminuir, tal como os custos laborais. Os dados referidos pela entidade comprovam isso mesmo: a taxa de dezembro caiu novamente para 15,4%, uma redução de 1,9pp nos últimos doze meses (17.3% em novembro de 2012).

Inflação baixa ajuda competitividade

Outra das conclusões indica que “as baixas taxas de inflação ajudaram a compensar a queda dos rendimentos e a melhoraram a vantagem competitiva das exportações”. Os números indicam precisamente que a inflação geral (IHPC) desacelerou novamente em janeiro em 0,1pp para 0,1% a/a principalmente devido à queda dos preços dos bens industriais.

PIB cresceu acima do esperado

Uma das principais referências feitas pelo Observatório Económico refere que “a recuperação ganhou dinamismo no 4T13, mais do que o esperado, o que supõe um enviesamento no sentido ascendente relativamente à nossa previsão de 0,8%  para 2014”.  Justificando esta recuperação, a entidade indica que o PIB cresceu 0,5% t/t no último trimestre de 2013, ultrapassando as previsões do próprio Observatório. “Embora ainda não se conheçam os resultados detalhados da composição do crescimento, subjacente a esta aceleração da atividade poderá ter estado a maior resistência tanto do consumo privado como do investimento, que se uniu ao bom desempenho das exportações”.

Para o primeiro trimestre deste ano a equipa de research do BBVA, analisando os dados disponíveis até ao momento, estima um crescimento trimestral do PIB de cerca de 0,2%.

Mais investimento

Ao nível do investimento, o Observatório Económico da entidade estima que “o investimento continuará  a beneficiar da pujança da procura global, da recuperação dos principais parceiros da união monetária e da melhoria da acessibilidade ao crédito”. A entidade prevê por isso “uma aumento moderado do investimento em 2014 (1,4% após uma contração de aproximadamente 8%) para acelerar em 2015 (3%)”. 

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos