Tags: Obrigações | Ações |

A melhor forma de participar nas mudanças que estão a produzir na China


O novo Governo, liderado por Xi Jing Ping, terá mais margem para agir no sentido de impulsionar o crescimento económico do país. Assim considera Virginie Maisonneuve, responsável de acções globais da Schroders, que refere que as novas medidas que este novo Executivo colocará em marcha se produzirão muito provavelmente a partir de finais do primeiro trimestre do próximo ano. Mas, de onde poderão vir as reformas do novo Governo? Para esta profissional, as prioridades depois da transição estar completa centram-se nas reformas financeiras, de preços no sector energético e em matéria fiscal e tributária.

Num documento publicado pela gestora, Maisonneuve afirma que a necessidade de mais habitações no país, conjugada com preços razoáveis no sector imobiliário, poderá incentivar as empresas de construção, assim como as de matérias-primas. “Um enfoque centrado na urbanização poderá continuar a ser um motor de crescimento durante muitos anos no futuro”, assegura a responsável de acções globais da Schroders. Todavia, na sua opinião, não será o único enfoque interessante. “Algumas das melhores formas de participar nas mudanças que se estão a produzir na sociedade chinesa, tal como as oportunidades de crescimento, são os sectores dos seguros, do consumo e algumas áreas do sector das matérias-primas”.

Contudo, os títulos cotados  na Bolsa da China ou de Hong Kong não são a única forma de aproveitar o crescimento da economia chinesa. "Os investidores podem beneficiar-se de retornos sucessivos em empresas multinacionais e locais, independentemente do mercado onde estejam listadas”. Em termos gerais, a China continua a representar, segundo a profissional, uma oportunidade óbvia de investimento. “Apesar do crescimento económico chinês ter abrandado, o ritmo a que avança o PIB continua a ser muito favorável quando comparado com o resto do mundo”, assinala Maisonneuve. Conhecer em que mãos está o futuro da China é determinante. De acordo com a responsável de acções globais da Schroders, o novo  líder chinês é conhecido pela sua luta contra a corrupção, o seu pragmatismo e diplomacia, o qual será muito necessário durante a próxima década. “Xi Jing Ping todavia está em linha com Deng Xiao Ping, o presidente que converteu, nos anos 80, a China numa economia de mercado”, explica. Até ao momento, tem mantido um perfil relativamente baixo no âmbito internacional, guardando também silêncio sobre a sua visão relativamente à direcção económica que deve tomar o país. Filho de um veterano comunista, é licenciado em engenharia química e ciências políticas, ocupou vários cargos nas províncias de Fujian e Zhejiang.

Empresas

O Mais Lido

Próximos eventos