Tags: Obrigações | Ações |

A elite dos fundos


O melhor fundo a três anos, da categoria Alocação, pertence ao fundo gerido pela Invest Gestão de Ativos, através do seu produto Invest AR PRR. Nos últimos 36 meses obteve uma rendibilidade anualizada de 9,60%, que se transforma em 20,5% nos últimos dois anos ou em 32,56% entre os mês de julho de 2012 e 2013. No final de julho, o seu património sob gestão ascendia a 2,94 milhões de euros, com um alfa melhor que a média no período em questão (-1,71%). Já o Max Drawdown está pior do que a média da indústria no primeiro mês do segundo semestre (-24,21% contra os -16,12%).

O melhor fundo de ações pertence ao Montepio, através do produto Montepio Euro HealthCare, que tem de rendibilidade a três anos nos 15,46%. A cinco anos, a rendibilidade anualizada desce para 10,03%. Tem um alfa e um beta mais baixo do que a média da indústria e fechou o mês de julho com uma património de 6,3 milhões de euros. Tem, também, um Max Drawdown a três anos melhor do que a média da indústria (-11,4% contra os -16,01 do mercado).

Para os fundos de obrigações o grande destaque é para a ESAF, que detém os quatro primeiros lugares dos melhores fundos a três anos, que finalizaram no mês de julho. O ES Obrigações Europa é o primeiro da lista, com uma rendibilidade anualizada a três anos de 12,35%, bem acima da média da indústria que se situou no 1,03% e da categoria de obrigações, que acabou o período com uma valorização de 3,21%. O alfa é melhor que a média do mercado, enquanto que o beta segue no caminho oposto. Já o valor do património sob gestão acende a 48,7 milhões de euros, com o principal destaque da sua composição a ir para a dívida soberana de alguns países, como Portugal, Grécia ou Holanda, entre outros.

Também no mercado monetário, o melhor fundo a três anos pertence à ESAF, através do seu fundo ES Monetário Fundo, que apresentou ganhos anualizados de 3,33% nos últimos 36 meses. O seu alfa é de 2,32%, bem melhor que os -3,55% da indústria. Já o valor que tem sob gestão, atinge os 141,3 milhões de euros. Não apresenta qualquer título acionista na sua carteira.

Destaque, também, para o Private Equity da Caixagest, que atingiu uma rendibilidade de 9,52% nos últimos três anos, tendo fechado julho com um património sob gestão de 113,4 milhões de euros.

Os melhores são a doze meses

Em toda a indústria de fundos de investimento nacional, os melhores produtos encontram-se a doze meses, cuja rendibilidade anualizada média se situa nos 7,37%, com destaque para a Caixagest, através dos seus produtos Rendimento Oriente e Rendimento Nacional que subiram ambos mais de 47% (47,37% e 47,18%, respetivamente).

Mercado Monetário no topo do património

O fundo que apresenta o maior património sob gestão é o ES Liquidez, que é da responsabilidade da ESAF. No final de julho tinha sob gestão 2,01 mil milhões de euros. Esta categoria, mercado monetário, é que está mais representada em todo o bolo do património, com mais de 4 mil milhões de euros sob gestão. Fecham o pódio as categorias de Obrigações e de Alocação com 3,73 mil milhões e 2,49 mil milhões de euros, respetivamente. Os fundos de ações tinham sob gestão, no final de julho, 1,02 mil milhões de euros.

Empresas

Outras notícias relacionadas


Anterior 1 3 4
Anterior 1 3 4

O Mais Lido

Próximos eventos