A consistência dos fundos mistos


No final de setembro, existiam apenas cinco fundos mistos no mercado nacional, segundo os dados publicados pela APFIPP. Esta “mão cheia” de produtos tinha quase 180 milhões de euros em ativos sob gestão, com a Associação a dividi-los em duas categorias: os que investem predominantemente em obrigações e os que têm mais ações em carteira.

Analisando os dados dos últimos doze meses verificamos que a rendibilidade média atinge os 6,6% com o CA Raiz Global, da CA Gest, a liderar o mercado com ganhos superiores a 12,87%.  No final de setembro a sua carteira era constituída, maioritariamente por dívida pública e corporativa, segundo a carteira do produto disponibilizada pela Morningstar através da sua página na internet.

Já a três anos o produto mais rentável é administrado pela Montepio Gestão de Activos. O fundo Montepio Global fechou o período com uma rendibilidade anualizada na ordem dos 8,82%, tendo uma ligeira vantagem para o fundo da CA Gest que não ultrapassa os 8,57%. Na carteira deste produto podemos encontrar um ligeiro equilíbrio entre as posições detidas em dívida pública, dívida corporativa e ações.

Os restantes fundos desta categoria apresentam, também, rendibilidade assinaláveis. Nos últimos doze meses o Dunas Banco BIC Investimento, da Dunas Capital, apresentou uma rendibilidade de 7,47%, tendo ficado à frente de dois fundos da Caixagest: o Caixagest Estratégia Arrojada e ainda o Caixagest Estratégia Equilibrada. O primeiro com uma subida de 3,85% e o segundo com ganhos na ordem dos 2,08%.

Consistência para diferenciar equilíbrio

Além da rendibilidade, também a consistência pode diferenciar os fundos entre si. Uma das formas é através do índice Sharpe. Este rácio desenvolvido por William F. Sharpe, prémio Nobel da Economia em 1990, relaciona a rendibilidade do fundo com risco do mesmo, o que permite obter uma medida quantitativa da eficiência da gestão.

Desta forma, quanto maior for o rácio Sharpe, mais eficiente é a gestão do produto. Neste indicador, os prazos mais longos também são importantes, já que mostram a eficiência em períodos onde os fundos de investimentos tendem a bater os seus produtos concorrentes.

Nos últimos três anos o fundo que apresenta o rácio Sharpe mais elevado é o Caixagest Estratégia Equilibrada, da Caixagest. Nesse período o fundo apresenta uma rendibilidade anualizada na ordem dos 4,12% e um rácio Sharpe que ultrapassa os 1,65. Com um indicador de 1,53 surge o CA Raíz Global, seguindo-se o Montepio Global com um Sharpe de 1,19.

Os fundos mistos, ordenados por ordem alfabética

FundoCategoria APFIPPGestoraRendibilidade 1 ano (%)Rendibilidade 3 anos (%)Sharpe 1 anoSharpe 3 anos
CA Raíz GlobalMisto - açõesCrédito Agrícola Gest12,8728,5784,4691,531
Caixagest Estratégia ArrojadaMisto - açõesCaixagest3,8565,0311,7741,111
Caixagest Estratégia EquilibradaMisto - obrigaçõesCaixagest2,0834,1261,8591,655
Dunas Banco BIC InvestimentosMisto - obrigaçõesDunas Capital - Gestão de Activos7,474 2,180 
Montepio GlobalMisto - açõesMontepio Gestão de Activos6,7298,8272,5291,198
Análise Funds People a partir dos dados disponibilizados pela Morningstar a 30 de setembro
Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos