2014 foi a segunda vez na história que os fundos imobiliários caíram


Nos últimos dias a CMVM publicou o seu relatório onde faz o balanço do ano passado, passando em revista todos os temas que tem sob a ‘batuta’, como é o caso do capital de risco ou dos OICVM. Também analisa os fundos de investimento imobiliário, que em 2014 viu o seu valor sob gestão cair 6,8%. De acordo com o regulador é a “segunda vez desde a sua existência – a primeira ocorreu em 2011 – que o sector de fundos de investimento imobiliário regista uma diminuição no valor sob gestão.“ Além desta queda, houve também uma diminuição do número de investidores, com o “número de pessoas singulares com unidades de participação diminuiu cerca de 11 mil. Nas demais tipologias de investidores não houve oscilações significativas no número de participantes”.

O que ajudou a não cair mais?

De acordo com a CMVM existiram alguns factores que ajudaram a que a queda não foi ainda maior. “Em primeiro lugar, assistiu-se ao aumento da liquidez na componente de depósitos a prazo, pese embora a redução verificada na componente de liquidez à vista. Em segundo lugar, o endividamento dos fundos de investimento imobiliário continuou a diminuir. Em terceiro lugar, aumentou de novo o valor das participações em sociedades imobiliárias”, segundo se lê do relatório.

Houve, também, algumas diminuições noutras rubricas como é o caso dos de terrenos, construções de reabilitação, outros projetos de construção e construções acabadas. A CMVM associa esta diminuição à “situação recente do sector da construção imobiliária em Portugal”

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos